Ultimas

terça-feira, 15 de outubro de 2013

DEPOIMENTOS: PARTICIPAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO PORTAL PCD ON-LINE

Durante a leitura vocês irão notar que há algo estranho no texto, é que estou trocando o nome de uma mulher que consta nos altos para preservar a sua identidade. Então ela passará a ser chamada de A pessoa.

Desde 2009 venho sozinho apresentando meu currículo vitae nas empresas de campo grande e região apesar de ter uma deficiência física paralisia infantil na perna direita desde 06 meses de idade acredito eu que consigo um emprego sem me passar por coitadinho e querer que alguém me de esmolas como um emprego, então dispensava ajuda das pessoas por querer sempre mostrar que eu consigo vencer.
 
O tempo foi passando e meu dinheiro também foi se acabando e nada de emprego conseguir. O estresse foi me consumindo , ansiedade tomando conta, eu sabia que tinha que conseguir um emprego de qualquer jeito pois as contas nunca paravam de vir. apesar de ter uma deficiência o inss indeferiu  meu pedido de LOAS , portanto não recebo nenhum beneficio do governo dai as minhas dificuldades.
O tempo se passaram em outubro 2011 e estava desanimando de conseguir algum emprego aqui na capital um dia em casa assistindo televisão no horário do almoço estava passando um aviso de empregos para deficientes pela funsat e os interessados procurar a funsat levando os documentos pessoais. Foi ai que me animei um pouco e não custa nada tentar pensei, pois vinha tentando sozinho e sem êxito chegando a me desanimar completamente.
No dia 03 de outubro de 2011 me dirigi junto da minha esposa Liria ate a funsat e la fizeram minha carteira de trabalho segunda via pois a primeira tinha perdido .Depois de confeccionar minha carteira de trabalho a moca me encaminhou diretamente ao setor de inclusão de deficientes ao mercado de trabalho e me apresentou para A pessoa.
A pessoa foi me pedindo meus documentos pessoais e fazendo meu cadastro na hora na minha frente pelo computador e ao mesmo tempo fazendo uma entrevista comigo perguntando oque eu já tinha trabalhado e tudo.
Eu disse da minha trajetória vivida por quase 20 anos no Japão e la trabalhei em diversas áreas , como gerente de recursos humanos , líder de setor, interprete e tradutor de policia, tribunais, hospitais enfim contei a ela toda minha experiência de vida e minha bagagem que trouxe de lá. 
Ao mesmo tempo fazendo meu cadastro e me entrevistando A pessoa me disse claramente : nossa Marcos ouvindo suas experiências do Japão você trouxe muita bagagem de lá e eu já estou conseguindo visualizar você em algumas vagas que já tenho em mente agora.
Vejo você em lugares de liderança e uma pessoa proativa disse A pessoa.
A pessoa ainda dizendo: tenho em mente 03 empresas que possam te encaixar : Golden Cargo transporte uma empresa de transporte , uma outra é net.com  empresa de telefonia call center e uma outra também call center. A pessoa na minha frente e da minha esposa pegou toda empolgada o telefone e disse para nos: inclusive vou ligar agora para a dona da empresa, pois ela já é minha amiga e vou falar de você para ela para agendar uma entrevista e ao ligar conversou com a "tal" empresaria perguntando da tal vaga que se tinha ou não , foi ai que a "tal" empresaria em resposta para A pessoa disse: que ainda não tinha preenchido e que poderia esta me encaminhando. Então A pessoa acertou com a dona desligando o telefone e me disse: Marcos consegui ainda bem você esta com sorte, vou terminar seu cadastro e encaminhar para ela seus dados e vejo se encaixo uma entrevista na empresa ate semana que vem na quarta-feira ok? dai respondi que sim pode agendar que irei na entrevista.
A pessoa ainda conversando sobre essa vaga, me disse : se essa entrevista não der certo verei para você na "Golden Cargo transportes " e a outra de " Net.com call center ". Tudo acertado e terminado meu cadastro com A pessoa fui embora para casa e chegando em casa no mesmo dia enviei meu currículo vitae no endereço eletrônico que A pessoa me passou : inclusão@funsat.capital.ms.gov.br . depois de enviar meu currículo liguei para ela confirmando se recebeu ou não e ela me atendeu dizendo que tinha recebido e agradece-me e reconfirmou a conversa da entrevista na semana seguinte com a amiga empresaria e que era para eu esperar o contato dela.
Os dias foram passando e chegou a quarta-feira da semana seguinte que A pessoa tinha me prometido e nada A pessoa me ligar dizendo da entrevista, o dia foi passando e a ansiedade foi tomando conta de mim , o dia todo fiquei ansioso e apreensivo esperando o contato da A pessoa  mas não me ligou nesse dia.
Acreditei que então no dia seguinte iria me ligar falando da entrevista, mas também me deixou ansioso a esperar, mas não me ligou e assim por diante todos os dias aconteceu e eu ficando a esperar. Passado duas semanas sem a satisfação de A pessoa , eu peguei o telefone e liguei para falar com ela, mas outra pessoa me atendeu e disse que ela não estava, dai eu deixei recado para essa moca dizendo que eu estava esperando o contato A pessoa sobre a entrevista que ficou de agendar e pedi para que entregue o recado e também pedi para que A pessoa me ligasse , a moca disse que iria repassar meu recado a ela.
Passando esse dia todo aguardando um retorno A pessoa , mas não me ligou e foi assim por vários dias , dai liguei novamente e passei o recado para a moca que me atendeu e que dizia que A pessoa não se encontrava e que repassaria meu recado a ela. foi assim por vários dias eu esperando um contato dela e eu ficando já estressado e desacreditando nas promessas A pessoa  foi num dia do nada que recebi por e-mail um convite da Funsat e do Prefeito nelson Trad para participar no dia 02 de dezembro de 2011 de um evento no Sebrae sobre inclusão dos deficientes no mercado de trabalho. Eu e minha esposa fomos nesse evento , pois também não me custava nada e quem sabe lá eu encontro com Eliene e podemos conversar sobre aquela entrevista que me prometeu.
Já no evento do Sebrae foram varias empresas convidadas a participar nesse evento e assistir a palestra e lá estava A pessoa no palco e eu e minha esposa na plateia assistindo. Ao terminar as palestras todos os convidados e empresas participantes foram para um momento descontração tomar café, sucos e comer salgados que haviam preparados para os participante, eu e minha esposa fomos para lá  também .
Eu ao avistar A pessoa e procurar um momento adequado para falar com ela, fui  ate ela e ao chama-la pelo nome ela virou rapidinho e já me respondendo : Oi senhor Marcos eu estava pensando no senhor como o senhor esta? respondi, estou bem ,mas ainda aguardando a resposta da entrevista que você A pessoa tinha me prometido lembra? nesse momento ela ficou toda desconcertada e logo me dizendo : olha Marcos tem uma empresa parceira da Funsat que se chama Net.com que esta aqui participando desse evento e vou chamar os responsáveis para falar com você.
A pessoa foi atrás desses tal responsáveis da Net.com e trouxe eles ate a mim e minha esposa do meu lado e nos apresentou na nossa frente os dois rapazes de terno preto e falou muito bem de mim para esses dois rapazes dizendo que eu tenho muitas experiências e bagagem e que já morei no Japão enfim e que poderia estar conversando comigo agora mesmo para me conhecer e quem sabe se der certo podemos encaminhar o senhor marcos para vocês.
A pessoa se afastou deixando os dos responsáveis da net.com entrevistando eu do lado da minha esposa , perguntando das minas experiências , dai fui falando , da minha trajetória do Japão que trabalhei em varias áreas , como líder, tradutor, gerente de RH , enfim e que estava a procura de um emprego e uma oportunidade , então conversamos por 20 minutos ali em pé mesmo .
Terminando nossa conversa com esses dois responsáveis da net.com , eles disseram que gostaram da minha pessoa e que seria um prazer ter minha presença na equipe de trabalho deles e vai pedir para A pessoa enviar meus dados para agendar um dia na empresa, foi ai que eles chamaram A pessoa concluindo nossa conversa e que gostaram de mim e que queria os dados meu . A pessoa então finalizou a conversa prometendo que enviaria meus dados para eles e que era para eu esperar o contato e a voz de comando dela e que provavelmente ate no meio da semana seguinte você estará na empresa trabalhando se der tudo certo ok senhor Marcos?
Fui para casa todo contente falando para minha esposa, nossa foi bom mesmo ter ido nesse evento , agora sim acredito que dará certo o emprego.
Fiquei a esperar o contato da A pessoa novamente na semana seguinte e os dias foram passando e nada do contato A pessoa  fui ficando mais apreensivo , nervoso, raiva, sentimento de impotência , angustiado com tudo aqui prometido e nada, e foi passando os dias ,e a raiva tomou conta de mim.
No começo do ano seguinte 2012 liguei varias vezes para questionar da vaga que tinha me prometido A pessoa e ela nunca atendeu o telefone e sim somente uma moca que dizia que iria repassar o recado para A pessoa para me ligar , mas isso nunca aconteceu.
Como já estava com muita raiva eu decidi enviar por e-mail  na ouvidoria da funsat uma reclamação das prestações de serviço A pessoa e que ate hoje estou esperando uma resposta e nada. E os dias se passaram esperando também uma resposta dessa reclamação feita pele internet na ouvidoria e nada aconteceu ninguém me ligou.
Os dias foram passando eu já com mais raiva e estressado resolvi agora brigar, enviei para o senhor prefeito Trad no facebook dele na época uma reclamação da funsat e contei a historia oque tinha acontecido. O prefeito Trad me respondeu pelo facebook dizendo que minha reclamação tinha sido encaminhado ao setor responsável para as providencias cabíveis e logo depois recebi um e-mail dizendo que minha reclamação da funsat por ser assunto interno para eu esperar os contanto.
Os dias foram passando também e eu não recebi nenhuma satisfação da minha reclamação e eu já muito bravo resolvi enviar minha reclamação para as mídias , televisões, rádios e jornais reportando o descaso da funsat e também aos órgãos competentes , mistério publico federal e estadual , ministro da justiça e ate para presidente Dilma enviei .
O caso foi parar na procuradoria do trabalho onde hoje o senhor procurador Leontino cuida do caso. E em uma dessas audiências com a Funsat o diretor disse em resposta ao procurador que eu não havia alimentado o sistema de emprego da funsat , e eu so fiquei sabendo de que tinha que alimentar o sistema daquele dia que respondeu por escrito ao procurador, pois a A pessoa nunca tinha me falado no dia de que eu tenho obrigação de alimentar o sistema com dados novos enfim, era uma surpresa para mim saber dessa informação .
Em uma reunião agendada com minha presença , procurador do trabalho Leontino , senhor Aldo diretor da funsat e A pessoa.
A pessoa reconheceu que não tinha me falado me instruindo dessas informações, chegando a ficar nervosa colocando a mão na cabeça dizendo para mim: oque eu queria que ela fizesse?? quero que eu peca desculpas para você senhor Marcos? você queria que eu tivesse ligado para você na época falando das informações? se fosse assim eu teria que sair ligando para todo mundo desse jeito não da ne? disse A pessoa.
Durante as conversas eu questionava dizendo que eu não tinha essas informações e que em nenhum momento A pessoa me avisou que eu deveria ter feito tal coisa  feito tal procedimento, então eu fiquei inocente o tempo todo sem essa informação e o pior disso tudo fiquei muito estressado, aguardando um contato seu A pessoa sobre as entrevistas que vc tinha me prometido e nada de contato seu, fiquei muito estressado, angustiado. desanimado chegando ate desacreditar na vida. Foi dai que A pessoa disse: vc quer que eu te peca desculpas? oque vc quer que eu faca? quase chorando.
Foi quando o procurador do Trabalho Leontino interviu nossa conversa e perguntou para A pessoa : então houve o "ruído" a falta de comunicação entre vocês ne? o Marcos não foi instruído nesse ponto ne? dai o procurador sugeriu que por ter essa falha de vocês aconselharia vocês que fizesse um reforço nesse processo de informar as pessoas .
Foi dai dessa conversa que entre eles saíram da boca deles: fazer folders para melhorar a comunicação e deixar as pessoas mais cientes do que tem que fazer. eles concordaram terminando a reunião .
Já tenho em mãos a conclusão da Procuradoria do Trabalho e estarei enviando para vocês e dentro de alguns dias estarei dando entrada com um processo de danos morais contra a Funsat através do meu advogado .
 Aqui estão os processos do caso.

Marcos
67-9103-3785
Campo Grande MS


Carteira beneficia deficientes no Japão

De passagens a cirurgias, os benefícios são inúmeros

Tokai , Aichi , Toyohashi - Osny Arashiro/ipcdigital.com

Osny Arashiro/ipcdigital.com 
Taira-vaga-cativa-em-estacionamento-com-desenho-da-cadeira-de-rodas
Taira: vaga cativa em estacionamento, com desenho da cadeira de rodas
Já imaginou uma cena assim: você vai pagar a conta do hospital no valor de quase ¥ 2 milhões. Sem querer, deixa cair no balcão a carteirinha de deficiente físico. A moça vê a carteirinha e depois apresenta a conta de apenas ¥15 mil, referentes ao custo de alimentação. Aquela despesa hospitalar de quase 2 milhões ficou zerada. 

Cena de filme, mas real. Quem conta com bom humor é o brasileiro Marcos Taira, residente em Toyohashi (Aichi). Sindicalista e executivo do Nagoya Fureai Union, Taira tem por filosofia ajudar os menos favorecidos. Com seu jeito bonachão, ele chega perto de algum brasileiro portador de deficiência física e pergunta: "posso te ajudar?" E então conta suas experiências vividas durante os 16 anos em que reside no Japão.

Com seqüelas na perna direita em conseqüência da poliomielite (paralisia infantil) sofrida aos seis meses de vida, Taira chegou ao Japão como um dekassegui comum, mas sempre desconfiaram da sua capacidade como operário, chegando a receber salários inferiores aos dos colegas.
Fluente no idioma japonês, ele ganha a vida como intérprete de polícia e também auxilia estrangeiros em seus direitos jurídicos, enquanto acumula a função de sindicalista. Há muitos anos ele trabalha em meio a advogados japoneses e foi adquirindo experiência com as leis vigentes no país. Foi nessa convivência que Taira soube que tinha direito ao Shintai Shogaisha Techo (Carteira de Deficiente Físico) amparado pelo governo do Japão, através do Ministério do Bem-estar Social, e extensivo a todo cidadão residente no país, seja estrangeiro ou não.

"Somente após quatro anos no Japão, em 1994, foi que tomei conhecimento da existência dessa carteirinha. Dei entrada em Osaka onde eu morava naquela época e em apenas um mês consegui. Foi muito rápido, pois conheço pessoas que esperaram até seis meses", diz Taira.
"Após os exames médicos, obtive o grau 3 no índice de deficiência. A maior graduação é 1 para aqueles que usam cadeira de rodas. Esse índice serve apenas para determinar o valor da ajuda que o governo municipal vai depositar na conta bancária do beneficiário, porque os benefícios e descontos são iguais para todos, independente do seu grau de deficiência", lembra Taira.

"Osaka foi a cidade de onde recebia o maior auxílio, ¥ 25 mil por mês, depositado na minha conta a cada trimestre. Depois mudei para outras localidades, Shiga, Mie, recebendo não mais do que ¥10 mil por mês. Atualmente, em Toyohashi, recebo ¥ 6.900. Cada cidade deposita um valor diferente", explica.

Em busca de informação sobre seus direitos
Taira manda o seu recado de incentivo: "trabalhador, você tem direitos e não sabe. Não importa que você seja estrangeiro. Não desista! Se você é deficiente físico, o médico não será capaz de diagnosticar o contrário. Corra atrás dos seus direitos, se você perdeu uma mão, um dedo, tem alguma outra deficiência, o governo japonês não tem como negar". Ele afirma, ainda, que todo deficiente tem direito a esse benefício, mesmo aqueles que já eram deficientes no Brasil e hoje moram no Japão. "E não precisa ser deficiente por nascença, mas por acidente também é válido".

São inúmeros os benefícios de descontos para aqueles que possuem a carteirinha. "Não custa nada perguntar para alguém, em qualquer lugar que for, se existe desconto para deficiente físico", ensina, pois o episódio no hospital ele considera como uma grande lição e até hoje foi o maior desconto que já recebeu. Até então, ele não sabia que deficiente não pagava consulta médica, remédios, internação e nem custos de cirurgias.
Mas é preciso estar inscrito no Shakai Hoken ou Kokumin Kenko Hoken, pois nesse caso somente a carteirinha de deficiente não funciona. "Algumas províncias também adotam o sistema de o paciente primeiro pagar toda a despesa hospitalar e depois reaver o dinheiro, portanto, sempre é bom verificar antes", ensina.
"Eu tinha feito uma cirurgia no olho e o preço de quase ¥ 2 milhões foi uma verdadeira pimenta nos olhos", brinca. "Já estava pensando em pedir dinheiro emprestado de amigos e parentes, quando ao tirar meu hoken (seguro) do bolso, sem querer minha carteirinha de deficiente caiu em cima do balcão e a moça viu".
Outro bom desconto foi na compra do seu carro "zerinho". "Primeiro fiz o orçamento normal, depois pedi desconto ao apresentar minha carteirinha e a redução foi de ¥ 300 mil. Todos os encargos destinados ao governo são descontados, mas a compra tem que ser de carro novo, usado não". Ele também não paga o imposto anual (equivalente ao IPVA no Brasil). Isso representa uma economia de ¥ 52 mil no seu caso. Mas o shaken (documento que comprova a inspeção obrigatória) tem que pagar. 

Descoberta de mais benefícios especiais
Independente da nacionalidade, o deficiente físico no Japão tem direito a estacionamento cativo em supermercados, lojas e outros locais onde existir o desenho de uma cadeira de roda. "Outro dia eu estava estacionando num local reservado para deficientes quando chegou uma pessoa batendo no vidro do carro dizendo dame, dame (não pode, não pode)", conta Marcos Taira. "Mostrei minha carteirinha e a pessoa se desculpou, incrédula que um estrangeiro tivesse esse direito", relata.
De vez em quando Taira consulta o catálogo que a prefeitura emite, referente aos benefícios, e descobre novos descontos. Assim ficou sabendo que o telefone celular também oferece abatimento.

Taira se dirigiu ao balcão da sua operadora, mas a empresa ainda não havia implantado o sistema de descontos. Taira não pensou duas vezes, cancelou lá mesmo o contrato e adquiriu celular de outra companhia telefônica, que saiu na frente oferecendo descontos. "Mas hoje a outra operadora também oferece os mesmos 50% de abatimento nas tarifas", diz Taira.
Os benefícios concedidos no Japão a pessoas que têm a carteira de deficiente físico são infinitos. A princípio, todas as instituições governamentais oferecem descontos. "Só pago gasolina", brinca Taira, "e também o arroz, o feijão, A água e a eletricidade de casa, porque aí também já é querer demais.
Taira brinca dizendo que o jeito é deixar cair a carteirinha no balcão. "Quem sabe a sorte grande esteja lançada, como naquele dia lá no hospital."
Dúvidas podem ser esclarecidas com Marcos Taira: (090) 5100-9260

 LEIA A NOTÍCIA COMPLETA NA EDIÇÃO No 789 DO JORNAL INTERNATIONAL PRESS

 
Copyright © 2013 Portal PcD On-Line
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates